Ross Brawn diz que estar na Ferrari significa receber insultos ou elogios...

Ross Brawn diz que estar na Ferrari significa receber insultos ou elogios no aeroporto

49
0
RSS Feed

Ross Brawn, diretor técnico da equipe Ferrari entre 1997 e 2006, lembrou como foi viver a paixão pela Ferrari durante aqueles anos. A enorme pressão recebida pela equipe faz com que os fãs mais leais insultassem ou elogiassem nos aeroportos, dependendo de terem vencido ou perdido uma corrida. Brawn assumiu a direção técnica da Ferrari na etapa mais bem sucedida da equipe. Foram momentos importantes para a Scuderia, em que havia muita tensão acumulada. Os fãs identificavam as oportunidades da equipe, mas ao invés de apoiá-los, nas derrotas eles eram duros com os pilotos e os demais profissionais da Scuderia.

Tive a sorte de estar no pódio em Monza quando a Ferrari havia vencido e não há sentimento melhor do que isso. Ver tantas pessoas, a empolgação e a paixão dos torcedores“, disse Brawn em declarações publicadas pelo site Race Fans durante a apresentação da exposição ‘Ferrari in Art’. “Estava andando pelo aeroporto de Bolonha e você era insultado ou elogiado, isso não acontece em nenhum outro lugar do mundo, mas faz parte da paixão pela Ferrari“, lembrou.

Após sua passagem pela Ferrari, Brawn passou uma temporada inteira sem trabalhar antes da Honda contratá-lo em 2007 como chefe de equipe. “Eu tirei um ano de folga. Eu teria tido um momento ruim se eu fosse diretamente da Ferrari para outro lugar. Estive lá por dez anos, um número redondo, e eu senti que era certo me aposentar naquele momento. O que não queria fazer era abandonar em uma situação difícil, então isso foi perfeito para mim“, explicou Brawn.

A Ferrari permanece em um lugar importante em seu coração e falar sobre o passado o deixa emocionado. “Enzo Ferrari não se sentou e disse ‘Eu vou criar este império e vou fazer assim’. Ele evoluiu e se tornou o mais famoso time e fabricante do mundo“, compartilhou Brawn.

Ter sido uma pequena parte disso é muito especial, mas eu amo todos os estágios da Ferrari, a intriga e o mistério por trás disso também faz parte. Quando encontro os mecânicos que trabalhavam lá quando eu estava sempre há abraços, lágrimas e lembranças. Ainda é um lugar muito especial pra mim“, concluiu.

 

Fonte: Soymotor

RSS Feed

DEIXE UM COMENTÁRIO