Fórmula E se tornou lugar de castigo para pilotos e consolo para...

Fórmula E se tornou lugar de castigo para pilotos e consolo para ex-pilotos da F1?

43
0
RSS Feed
FIA Fórmula E

A FIA decidiu punir Max Verstappen, por sua atitude com Esteban Ocon no Brasil, forçando-o a atuar como comissário no ePrix em Marrakech. Essa ação não agradou o piloto da Fórmula E, Sam Bird, que acredita que vir para uma das corridas na categoria não deve servir como uma punição para ninguém. A FIA havia anunciado que a primeira das punições de Max Verstappen, por sua atitude com o Esteban Ocon no Brasil, seria comparecer no último sábado como comissário do ePrix de Marrakesh. A decisão não foi bem recebida pelo piloto da Virgin Sam Bird, um dos veteranos da Fórmula E, já que está na categoria desde o início.

Segundo Bird, a categoria de carros elétricos não deveria ser uma punição e a FIA ao agir assim, presta um desserviço, não enviando a mensagem apropriada ao público. No entanto, o britânico espera que Max comente de forma positiva sobre a Fórmula E para seus companheiros na F1. “Chamar uma corrida de Fórmula E de trabalho comunitário não faz justiça à categoria, não deve ser uma punição vir aqui”, disse Bird.

Verstappen foi um dos pilotos mais penalizados em 2018 e também um dos que mais criticou as decisões dos comissários, então a FIA pensou que colocá-lo do outro lado da ação serviria para fazê-lo refletir sobre suas ações e comentários. O piloto da Red Bull pareceu ter um dia “construtivo” e “interessante” no sábado, como informou a Federação em um comunicado.

A Fórmula E está em pleno desenvolvimento e se tornando cada vez mais competitiva, trazendo pilotos experientes para que o crescimento seja evidente a cada temporada. Claro que há uma tendência futura da categoria ir superando a F1 como atração ao público, assim como para os investidores, mas alguns pilotos ainda parecem um pouco desconfiados.

Ao considerarmos a ida de ex-pilotos da F1 para a Fórmula E, percebemos que os pilotos que já foram campeões na F1 até apreciam a categoria elétrica, mas não demonstram disposição em competir. Nico Rosberg, por exemplo, até flertou com a categoria, mas ficou por isso mesmo. Jenson Button correu para outro lado, buscando a WEC e agora GT. Fernando Alonso parece nem ter considerado a hipótese, principalmente diante da ambição assimilada pela tríplice coroa. Assim, apenas pilotos que não alcançaram o objetivo maior da F1, que seria o título de campeão, optaram por migrar para a Fórmula E.

Alguns destes que optaram pelos carros elétricos encontraram a satisfação de serem campeões, aproveitando a oportunidade de uma categoria embrionária. Outros ainda tentam um lugar ao sol, como uma segunda, ou mesmo última, chance em suas carreiras.

RSS Feed

DEIXE UM COMENTÁRIO